A cada 25 horas uma pessoa LGBT morre no Brasil; app tenta reverter estatísticas

Casos de LGBTfobia já podem ser denunciados a Controladoria-Geral da União via aplicativo TODXS.

Publicado em 20/12/2017 às 19:48

Cintia Moreira, da Agência do Rádio Mais
A cada 25 horas uma pessoa LGBT morre no Brasil; aplicativo tenta reverter estatísticas
Foto: Getty ImagesCasos de LGBTfobia já podem ser denunciados a Controladoria-Geral da União via app TODXS.

De acordo com um levantamento feito pela Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros e Intersexuais, o Brasil ocupa o primeiro lugar na quantidade de homicídios de pessoas LGBT nas Américas, totalizando 340 mortes no ano passado. Já a ONG Grupo Gay da Bahia afirma que, neste ano, uma pessoa LGBT morre no nosso país a cada 26 horas, em média.

Os números sobre a LGBTfobia não param por aí. A expectativa de vida de transexuais e travestis, aqui no Brasil, é de apenas 35 anos. No último domingo (17), por exemplo, uma transexual foi morta a pauladas em um hotel da zona norte de São Paulo. Larissa Paiva tinha apenas 25 anos. O homicídio foi registrado no 13º Distrito Policial (Casa Verde) e será investigado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), que instaurou inquérito.

De 2011 até o final de 2016, 980 pessoas trans foram mortas e 70% dos estudantes LGBT brasileiros já sofreram com discriminação nas escolas.

Com o intuito de reverter estas estatísticas, foi lançado o aplicativo TODXS, que foi desenvolvido por uma start up privada e permite o usuário enviar à Controladoria-Geral da União denúncias de agressão e discriminação a pessoas LGBT. É o que explica o ouvidor-geral da União, Gilberto Waller.

A cada 25 horas uma pessoa LGBT morre no Brasil; aplicativo tenta reverter estatísticas
Foto: Reprodução

“A ideia foi de que esta denúncia feita em um aplicativo privado também chegue a administração pública, ao Poder Executivo Federal, através da integração do sistema deles com a ferramenta da CGU, que é o e-Ouv, que é a ferramenta da Ouvidoria. Nele, você tem a possibilidade de verificar leis, responsáveis por serviços; ele é informativo e também coleta denúncias e manifestações de cidadãos que se sentem atingidos.”

A cada 25 horas uma pessoa LGBT morre no Brasil; aplicativo tenta reverter estatísticas
Foto: Reprodução

O aplicativo conta ainda com centenas de normas jurídicas de todo o país, para que a população LGBT possa conhecer e garantir seus direitos. Para a CGU, esta parceria com o TODXS é uma mudança importante na comunicação entre governo e cidadão e possibilita um maior diálogo entre grupos da sociedade e o Estado. Clique aqui para baixar.

Jovens líderes LGBT

TODXS Embaixadorxs é uma iniciativa que busca conectar e capacitar jovens líderes LGBT de todo o Brasil para que sejam transformadores de suas realidades e comunidades. O programa consiste em cinco meses de oficinas e treinamentos online nas áreas de comunicação, liderança e empreendedorismo.

Durante o programa, as pessoas participantes construirão projetos que possam contribuir para melhorar a vida de suas comunidades, especialmente de pessoas LGBT.

Dados sobre o Mundo LGBT

Segundo a Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Pessoas Trans e Intersexuais, pelo menos 72 países, estados independentes ou regiões criminalizam a pessoas LGBT. Desses 72 países, oito aplicam pena de morte para quem tem pratica sexual com pessoas do mesmo sexo.

As Américas e a Europa concentram os países com mais direitos aos LGBT, como, por exemplo, o reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo e adoção. Já a África e o Oriente Médio têm os países com as penas mais duras, como prisões e execuções.

© Portal Gay1
 
Encontre-nos no Google+