Professor da USP relaciona distúrbio na tireoide com sexualidade de pessoas LGBT

Slide tem circulado pelas redes sociais e alunos acusam o professor de fazer declarações homofóbicas.

Publicado em 28/10/2017 às 17:12

Gay1 SP
Professor da USP relaciona distúrbio na tireoide com sexualidade de pessoas LGBT
Foto: Reprodução/FacebookApresentação de slides do professor Antonio Carlos Simões durante aula na USP.

Em aula ministrada na Escola de Educação Física e Esporte da USP, um professor afirmou que distúrbios da tireoide podem causar "homossexualismo, masculinização das mulheres e desvirilização dos homens".

O slide com a afirmação foi projetado, na quarta-feira (25), pelo professor Antonio Carlos Simões, responsável pela disciplina "dimensões psicológicas da educação física e do esporte".

Registrado em foto por uma aluna, o slide tem circulado pelas redes sociais e gerado discussão entre os alunos que acusam o professor de declarações de cunho machista e homofóbico.

Procurado, Simões, ex-técnico olímpico da seleção brasileira masculina de handebol, disse que se tratou de um mal entendido entre os alunos e não quis dar explicações sobre a aula.

Questionado sobre as referências científicas utilizadas, orientou que a reportagem buscasse por artigos e por "um vídeo que foi passado na Globo". Não soube dizer data nem que reportagem era essa.

Em nota, a direção da Escola de Educação Física disse estar "empenhada em contribuir para a educação, direitos humanos, democracia e preservação dos direitos à diversidade". O caso foi encaminhado para o Núcleo dos Direitos Humanos, que conversará com o professor na próxima segunda-feira.

Alexandre Hohl, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, diz que não há qualquer evidência médica que justifique a relação entre tireoide e sexualidade de pessoas LGBT. "É um equívoco as pessoas irem para áreas que não são do seu domínio, seja na graduação ou na pós-graduação."

O endocrinologista Ricardo Botticini Peres, do Hospital Israelita Albert Einstein, explica que virilização e masculinização são doenças associadas a tumores adrenais ou ovarianos e a certas doenças genéticas.

"Em casos extremos, quando a doença está avançada, é possível que haja disfunção sexual, diminuição da libido e alteração menstrual, mas esses são sintomas secundários à baixa do hormônio tireoidiano", afirma.

O QUE DIZ O SLIDE

"A Tireoide

Dos distúrbios da tireoide podem resultar, além de outros, distrofias genitais, homossexualismo, masculinização das mulheres, desvirilização nos homens, deficiências suprarrenais, tendências a fadiga e incapacidade de suportar estados de tensão (estresse)

Importante - avaliar o quanto o perfeito ou imperfeito funcionamento da tireoide influi na eficacidade de praticamente todos os tipos de atividades"

© Portal Gay1
 
Encontre-nos no Google+