Jovem grava agressão homofóbica no DF: 'Aqui é clube de homem, rapaz'; veja vídeo

Caso ocorreu no último sábado, em clube de servidores da Polícia Civil. Estudante estava ao lado de um amigo quando foi abordado por diretor.

Publicado em 20/10/2017 às 15:52

Gay1 DF, com informações da TV Globo

Jovem grava agressão homofóbica no DF: 'Aqui é clube de homem, rapaz'; veja vídeo

Um jovem de 20 anos registrou, em vídeo, o ataque homofóbico sofrido por ele e um amigo no clube da Associação Geral dos Servidores da Polícia Civil do Distrito Federal (Agepol). O episódio aconteceu no último sábado (14), enquanto eles se preparavam para deixar o local.

As imagens mostram o diretor do espaço pedindo que os dois amigos saiam do clube por estarem "usurpando" o clube. Ele acusa a dupla de não ter carteirinha ou convite mas, logo em seguida, diz que o problema é a conduta dos dois.

O estudante, que pediu para não ser identificado, contou que chegou ao local durante a tarde e, quando estava se preparando para ir embora, foi abordado pelo diretor do clube.

Segundo o jovem, após abraçar o colega, o servidor os encarou por algum tempo, foi ao banheiro e, na volta, abordou a dupla. Ele decidiu gravar a cena porque, naquele momento, "avaliou ser a melhor atitude a tomar".

“Foi a primeira vez que passei por isso e em um local que nem imaginava. Mostrei as imagens para os meus pais e eles ficaram revoltados”, afirmou o estudante.

O conselho de direitos humanos garante que o caso não vai ficar em puni. "Nós iremos enquadrar o club na lei 2.615 que pune com penas pecuniárias estabelecimentos privados e comerciais, ou seja, com rigor do estado esse crime deve ser apurado e os responsáveis por ele devem ser responsabilizados", afirmou Michel Platini.

O diretor administrativo da Agepol disse a TV Globo que o servidor "não soube se expressar como devia", mas que o jovem e o amigo não respeitaram as regras do espaço.

"Temos famílias que aceitam e famílias que não aceitam. Temos crianças. Não admitimos que fiquem se abraçando, se beijando, sentando no colo."

Confira trecho das agressões:

Agressor: Vocês estão usurpando o clube aqui. Não aceitamos isso aqui dentro do clube.

Vítima: Isso o que? O que você não aceita? Viadagem?

Agressor: Viadagem, não. É lá na p*** que p... é do portão pra fora.

Vítima: Você tem essa regra escrita?

Agressor: Não, nós... nós impomos nossa regra.

Vítima: Tá escrito que você não aceita viado aqui no clube. É isso?

Agressor: Não, aqui no clube não tem viado, não. É do portão pra fora.

Vítima: Não? Certeza?

Família inconformada

O pai da vítima é policial civil aposentado e a família é associada ao clube. Nesta sexta-feira (20), ele e os pais pretendem registrar um boletim de ocorrência contra o diretor do clube e avaliam outras medidas a serem adotadas em relação às agressões.

Tentamos contato com a Agepol, mas até a publicação desta reportagem não obteve resposta. O homem que aparece nas imagens gravadas também não foi localizado.

© Portal Gay1
 
Encontre-nos no Google+