10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história

Protestos no palco, Pabllo Vittar arrastando multidão, bandeiras do arco íris por todos os lados, casamentos e muito mais que fizeram do festival o mais colorido de todos.

Publicado em 26/09/2017 às 18:01

Ernane Queiroz
10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história
Foto: Marcos Serra LimaBandeira do arco íris, símbolo LGBT, foi uma das mais vistas em todos os dias do Rock in Rio 2017.

A bandeira do Orgulho LGBT

O Rock in Rio 2017 teve uma de suas programações mais diversas nesta sétima edição. Foram sete dias de festival, do axé de Ivete Sangalo ao rock do Guns N' Roses, passando pelo soul de Alicia Keys aos lacres de Pabllo Vittar, o festival animou cerca de 100 mil pessoas em cada um de seus sete dias na maior Cidade do Rock de todas. E em todos os dias ela estava lá. Do palco à plateia, a bandeira do arco íris, símbolo do Orgulho LGBT, coloriu o maior evento de música do Brasil.

10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história
Foto: Marco Antonio TeixeiraPabllo Vittar rouba a cena no Rock in Rio e arrasta multidão em pocket show.

Pabllo Vittar

Anunciada de última hora, Pabllo Vittar fez um show surpresa no dia em que Lady Gaga deu "bolo" no Rock in Rio. Não que tenha sido a mesma coisa, mas o fato é que, ainda durante a tarde, a pequena arena Itaú ficou abarrotada de fãs da americana, comprovando a grande popularidade da drag queen. "Minha hora no palco Mundo vai chegar", previu durante o show, e no dia seguinte, chegou.

Pabllo Vittar fez participação surpresa no show de Fergie no Palco Mundo. A drag queen subiu ao palco da Fergie no sábado (16). Elas cantaram juntas "Sua cara", que foi gravada por Pabllo e Anitta, e "Glamurous", música de Fergie.

10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história
Foto: Reprodução/WhtasAppMaria Cecília e Marina de Assis celebram o primeiro casamento no Rock in Rio 2017.

Casamento igualitário

O primeiro casamento da edição de 2017 do Rock in Rio foi celebrado no fim da tarde da sexta-feira (15), primeira noite de eventos na Cidade do Rock. Maria Cecília Romera, de 29 anos, e Marina de Assis, de 25, foram as primeiras a entrar na capela este ano. As noivas, de São Paulo, sempre quiseram um casamento diferente, mas nunca imaginaram que seria no Rock in Rio.

10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história
Foto: Reprodução/InstagramBailarinos com bandeiras gigantes do arco íris durante show da Ivete Sangalo no Rock in Rio 2017.

A mensagem de Ivete

A cantora baiana Ivete Sangalo levou sua mensagem contra a LGBTfobia na sua apresentação no Palco Mundo na primeira noite do Rock in Rio. Dois bailarinos da cantora subiram ao palco com bandeiras gigantes do arco íris, símbolo do movimento LGBT, com a palavra IGUALDADE.

10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história
Foto: Daniel Pinheiro/AgnewsBeijos entre pessoas do mesmo sexo foi protagonizado pelos dançarinos de Fernanda Abreu.

Beijaço

Rolou na apresentação de Fernanda Abreu no palco Sunset e foi protagonizado pelos dançarinos da cantora. Casais masculinos e femininos celebraram a diversidade. O sensual show da cantora contou ainda com participação do grupo de funk Dream Team do Passinho e da Focus Cia de Dança.

10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história
Foto: Marcos Serra LimaDurante o show de Ivete Sangalo, casal se beija em frente ao Palco Mundo.

Mais beijos

Em dia reservado para Lady Gaga, que faltou, os beijos dos casais apaixonados roubaram a cena. Já no segundo final de semana do evento, um vídeo do O Globo com os casais do mesmo sexo viralizou nas redes. Assista!

10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história
Foto: Marco Antonio TeixeiraNão precisou de discurso: Johnny Hooker e Liniker fizeram uma apresentação potente voltada para a afirmação e representatividade LGBT no palco Sunset, na tarde deste domingo (17), no Rock in Rio.

"Amar sem temer"

Liniker e Johnny Hooker aproveitaram seu show no Palco Sunset, que aconteceu na no domingo (17) para denunciar a violência contra a população LGBT. Como frases como "Amar sem temer" e "O Brasil é o país que mais mata LGBT do mundo" no telão, os dois cantaram diante de um público animadíssimo, que não arredou pé mesmo sob sol escaldante. Assista!

10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história
Foto: SAMUEL KOBAYASHIDurante show no Palco Sunset, Ana Cañas protesta contra a LGBTfobia.

"O amor é a cura"

Primeira artista a pisar no Palco Sunset no segundo final de semana do evento, a cantora Ana Cañas aproveitou o show para dar um recado contra a LGBTfobia e contra o juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara do Distrito Federal, que concedeu uma liminar que abre brecha para que psicólogos ofereçam terapia para reorientação sexual, conhecida como 'cura gay'.

Segurando a bandeira do arco íris, a cantora defendeu o amor como livre: “Eu só queria dar um recadinho rápido. O amor é a cura, o amor é livre. Trate a sua ignorância, trate o seu preconceito. Por um mundo cheio de amor. O amor é a cura pra tudo na porra desse mundo!” Assista!

10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história
Foto: Alexandre DurãoTitica sobe ao palco do Rock in Rio para tocar com Baiana System.

Trans rainha do kuduro

Titica se tornou um ícone pop em Angola, desafiando o conservadorismo de seu país com a ajuda das crianças. A cantora transexual foi uma das atrações do palco Sunset no segundo fim de semana do Rock in Rio. Em entrevista, Titica conta ter sido a primeira artista de Angola a assumir sua transexualidade, aos 17 anos. "Tive medo. Não foi fácil e não é até hoje. Tem certos lugares em que não canto", diz.

No Rock in Rio, ela se juntou à Baiana System, banda que é queridinha da nova música de Salvador. O grupo e a cantora - que foi bailarina e já dançou no carnaval da Bahia - gravaram juntos "Capim Guiné".

10 fatos que tornam o Rock in Rio 2017 a edição mais arco íris da história
Foto: Alexandre DurãoKarol Conka é a convidada para o show do Bomba Estéreo no Palco Sunset.

Karol Conka e a "cura gay"

Com discursos contra LGBTfobia, "cura gay" e machismo, Karol Conka recebeu muitos aplausos durante sua participação no show estilo "empoderado" da banda colombiana Bomba Estéreo no Rock in Rio neste sábado (23).

"O amor é a única cura para uma das doenças mais graves da humanidade, que é a homofobia", disse Karol. "O nosso amor é muito maior do que o machismo e a homofobia, certo?" Assista!

© Portal Gay1
 
Encontre-nos no Google+